quinta-feira, 22 de abril de 2010

poesia umbilical/música heroína

(ao meu irmão roberto auad)


ginsberg incomoda
como uma torneira pingando
heróis são nossos músicos
que já não tocam nos rádios
se faz pensar não vende
se cutuca assusta
e o filho da puta bolachion
é herói na favela.
salve ó silicone
e o tédio na moça do ponto.
se assuste/se incomode
mostre os dentes
(e não sorrindo)
poeta que se cala
é a puta que se vende.
a questão que se sucinta
a burguesia podre
a periferia podresia?
se assuste beibi/se assuste beibi
e não permita ao vaticano
bolinar nossas crianças.
o inverso e o verso
é um universo de amor...
...e também um campo minado.
buuuuuuuuuuuummmmmmmm