quinta-feira, 28 de outubro de 2010

o balé

em ritmos inconstantes
dançam as minhas mãos
sobre a moça de olhos azuis
premeditando 01 gozo solitário.

minha mão direita me leva a uma bailarina japonesa.
meu dedo indicador esquerdo uma língua em meu umbigo.

domingo, 17 de outubro de 2010

roseiras

o certo de tudo
é que ainda te aguardo
entre as roseiras da esquina
e a margem esquerda da poesia.
passeios a camas
sem aquelas flores vermelhas
como pintei
na tela da sua chegada.
nas minhas poucas certezas
eu te aguardo.

sábado, 16 de outubro de 2010

o simples

o simples
dura o tempo de uma eternidade
sorri sem medo
cantarola sem receio
não se rende aos teatros
do faz de conta.
o simples não é maria vai com as outras
simplismente gosta ou não.
simplismente diz sim ou não.
o simples tem gosto de quero mais
aglutina os ambientes
e da um colorido especial as amizades.
o simples não oberva a vida alheia
não se prende a taças
quando quer apreciar o vinho
e regras são só regras.
o simples é de uma pessoa apenas
não de todos
não de todas as camas.
o simples transforma qualquer ambiente
não se rende aos esquemas
e tem sempre o brilho nos olhos.

anúncio

02 corpos
ou mais
sem nenhum passado
sem nenhum beijo
a carne em oferta
se expondo o banquete.
a promoção
alguns cliques apenas
a cam
01 estriper
01 esquema
me coma/te como
nada além
até mais.
aceito casal

ou qualquer um
01 compromisso
traga apetrechos.

-ela quer gozar muuuito.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

gosto do estranho

"para joão reis fonseca, amigo para sempre presente"


todas as pontas de
facas
amassadas
inteira minha mão
descansando no queixo.
coração vazio nada inteiro.
diante de mim indiferente o vinho
abafado/abafando as lembranças no peito.
não fiz amor com a moça no arpoador.
_silêncio
(01 poeta em conflito)
emoções
guardadas numa caixa de sapato
esquecidas longamente sobre o armário
onde jaz o passado.
não acorda defunto.
nem são paulo nem manaus
s
o
a
cagada
a
r
m
a

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

circo

há um conflito
indizível
entre 01 poeta
e o crer.
alguns livros ditando
vidas
respostas
prontas e confabuladas
desorientando rumos.
el mago vende tudo
não transforma nada
01 faz de conta
transcendental.
...e o coelho na cartola!
...ou nas limusines?
bancam tolos.
                        a rodos
                        a rotos
                        arrotos.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

moça

ei moça
meu olhar te acompanha
te devora
te come.
ei moça
minha alma te observa
te namora
te canta.
ei moça
meu lábios te chamam
te trazem
te reclamam.
ei moça
minhas mãos te acenam
te enlaçam
te buscam.
ei moça
meu corpo te deseja
te conduz
te ama.
ei moça
meu nariz
é...
o que rima com nariz?
não sei.
sei que ele quer
é cheirar você todinha.

uma canção para glória

[para glória amorim]

nesses entraves constantes
quando Deus é o meu alvo
tiros certeiros
em mim...
glória a moça da paraíba
onde anda?
hosana menina (hosana menina)
me encanta esse seu templo santo
38 estações
nenhuma violação
queria ser Deus e casar com você.
não estou no tibet (não estou no tibet).
qual milagre pediram teus pais?
anunciaram tua vinda mulher menina?
te adivinho num vinho
sem taça/sem copo/nos olhos
quando a alguns ontens te vi.
são benedito manda um abraço
se esqueceu dos seus recados
e a minha barba por fazer...
a minha lâmpada sem gênio
01 poeta genioso (poeta burro)
01 tiro mascado
Deus sorrindo de longe
te exalto menina.
hosana menina.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

colo

o meu amor se chama tereza
dela todas as verdades.
o meu amor se chama tereza
ela me acolhe
nela me recolho.

croquis

descompromissado com o kaos
sem rasgar nenhuma página
do meu diário de páginas amarelas
desenho planos
entre essas ruas estreitas de montes claros
para colorir o meu dia.
sacanagem maria,
porque você ta distante?