sábado, 12 de junho de 2010

12, hoje não será como ontem

um dedo de prosa e uma chave na mão.
tranquilo e sem nenhum grilo
tiro de letra essa solidão. geme beibi, tenho a chave na mão.
brincar e cantar e sorrir e sonhar e deixar a porta aberta
não bata beibi e entre que hoje é 12.
nesse chão de pétalas.