sábado, 15 de setembro de 2012

mesmice

esse aperto no peito
não cabe na palma da mão
começa no vazio esquerdo da cama

se completa no silêncio dos anos.
um desenho de ontem, e hoje
no porta retrato de amanhã