segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

remendos

essa linha invisível
costurando o meu corpo
tentativa vã
de fazer cicatrizar
as feridas do coração.
invisível na carne
latente na alma.

gemidos contidos no silêncio
soluços parceiros da poesia.
overdose de caos
a lâmina me chama.