segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

tédio 304

(para Fernando Salomon Bezerra)

como alimentar sonhos
encontros e acasos
ou casos/ ou tudo/ ou nada
se não existe esquinas em braxília?
em braxília existe tesourinhas
tesouras cortam tudo, e sonhos
em minha estrada cigana e vagal
sou torto de esquinas, são delas
os meus encontros e desencontros
também alguns poemas, e gozos
os que mais cabem em mim
são paulo me comia todos os dias
sem cuspe e sem dó
braxília me broxa, se broxa, nos broxa
mesmo com tantos poetas grandes
e rock
(mesmo o breganejo dominando rádios
e suas cabeças)
braxília por favor; me estupre
sem cuspe, também, me coma sem dó
me violente por todos os poros
me coma literalmente. toda a minha carne
nada de antropofagia ou gemidos ensaiados
me violente dos pés a cabeça, sem cafuné
da cabeça ao infinito você não me toca
minha alma e a minha luz tem um canto
me esperam em montes claros
ou façamos um acordo
ou me coma logo e cru
ou me deixe invadir as suas entranhas
sou só amor braxília
é o que quero, bukowskiar