quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

sorte

crescemos ouvindo de muitos (como “conselhos”) amigos ou parentes nos dizerem; a sorte bate em sua porta uma vez. inverdade.
a sorte bate em nossas portas todos os dias quando acordamos, respiramos e agradecemos a deus por mais essa oportunidade de um novo dia pois, a sorte é o sobrenome da vida. se a vida pulsa a sorte acompanha no latejo. somos feitos de momentos, emoções, estabilidades e instabilidades emocionais e a batida na sua porta pode não ser ouvida numa dessas circunstâncias mas momentos ou dias seguintes a mesma batida retornará em sua porta. e retornará muitas vezes. a sorte não é acaso. a sorte é construída, idealizada, desejada, planejada e pede o maior dos tesões para a sua concretização. a sorte não é um repente. a sorte não é um caso de sorte e sim, um estado de busca. a sorte é a consequência da obstinação, da fé, da procura. a sorte é o fruto do querer. boas ou más sortes serão as colheitas do nosso estado de espírito, de ações, de quem somos ou do que somos.